rua_de_terenos

Prefeitura de Terenos será investigada por suposta fraude e superfaturamento

O promotor de Justiça George Zarour Cezar instaurou investigação contra a prefeitura de Terenos pela suposta prática de

cinco crimes: superfaturamento de obras, por desvio de recursos recebidos para custear recapeamento asfáltica, fraude na
contratação de empresa, por eventual irregularidade com participação de estabelecimento comercial da cidade e servidores
públicos e ainda por falta de manutenção de pontes de madeira situadas no trajeto que leva às escolas dos assentamentos
rurais.

Estas informações forma publicadas  terça-feira (13) na edição do Diário Oficial do Ministério Público de Mato Grosso
do Sul. Inicialmente, o promotor abriu os procedimentos preparatórios, como são chamados os passos iniciais da
investigação. Achando indícios de ilegalidades, o promotor instaura inquéritos. Do contrário, os casos são arquivados.

Num dos procedimentos, Zarour Cezar publica no Diário que vai “apurar eventual desvio de recursos para o recapeamento
asfáltico e a inexistência de conclusão do cronograma de execução de obras com este objeto”.

De acordo com o publicado, a prefeitura recebeu R$ 680 mil para concluir os recapeamentos.

Noutro procedimento, o promotor apura suposta fraude na contratação, efetuada pela prefeitura de Terenos, de uma empresa de
manutenção elétrica, cujo nome não aparece na edição do Diário Oficial do MPE.

Já quanto à falta de manutenção nas estradas por onde trafegam os ônibus escolares, o promotor cita as linhas que deveriam
ter recebido obras de reforma: Nuara/Ouro Branco/São Pedro e Assentamento Sete de Setembro.

Outra investigação tem a ver com suposto superfaturamento na “construção do palco permanente que seria construído na praça
de eventos, localizada no bairro Leandro Corrêa”.

O promotor cita ainda ter instaurado procedimento para “apurar eventual ocorrência de desvio de verbas públicas envolvendo
estabelecimento comercial e servidores públicos”.